No âmbito da estratégia do desenvolvimento da economia do mar, o Governo adquiriu cinco embarcações, duas de passageiros com capacidade para 450 pessoas e três para patrulhamento da Zona Económica Exclusiva. Este investimento além de garantir a segurança marítima, também vai, sobretudo as duas embarcações de passageiros, atenuar a questão da dupla insularidade. De facto, ” a continuidade territorial é fundamental”, disse o Primeiro Ministro Patrice Trovoada.