Que ninguém tenha dúvidas que a campanha para as eleições presidenciais de Julho deste ano já começou, não por lei, mas na cabeça de uns quantos, só assim se explica os ataques da Troika contra um Governo que toda gente de boa fé reconhece que está a trabalhar bem, tem melhorado a vida das pessoas mais desfavorecidas, tem gerido bem os recursos que os parceiros e amigos de S. Tomé e Príncipe vêm pondo a disposição do país e começou a fazer as reformas de que o país precisa para alavancar a nossa economia e lançar o país rumo ao desenvolvimento.

Como o povo está satisfeito com a governação deste Governo chefiado pelo Dr. Patrice Trovoada, todos aqueles que sempre viveram a custa do povo estão aflitos, estão atrapalhados e começaram a atacar, insultar, mentir, difamar, injuriar o Governo e todos aqueles que estão a trabalhar bem para este povo. Daí que, depois da desgraça que abateu sobre eles no dia 12 de Outubro de 2014, em que o povo deu o seu grito de revolta, dizendo um grande “BASTA” àqueles que só querem, só sabem desgraçar o país, a única salvação para a Troika é, outra vez, as eleições presidenciais. A única esperança dessa gente é as eleições presidenciais, porque eles precisam, mais uma vez, de reeleger o Pai Grande da Troika para depois vir derrubar o Governo escolhido pelo povo nas urnas como já aconteceu. Mas, dessa vez, o povo já não vai cair nesses truques, os jovens que não conheciam, porque não viveram os primeiros 15 anos pós independência, hoje já conhecem a pessoa, por isso já não vão acreditar nas palavras enganosas como aconteceu em 2011.

O povo não vai esquecer…

O povo não vai esquecer que em 2011, durante a campanha, disseram que quem ganha governa, e que, caso ganhassem as eleições presidenciais não iam derrubar o Governo de Dr. Patrice trovoada, mas assim que assumiu o poder, começou a maquiar um plano para derrubar Patrice Trovoada e expulsá-lo da política santomense. Primeiro começaram com manifestações sem rostos, depois vieram com manifestações com rostos dos que desgraçaram esse país, com palavras de ordem: “Salvemos a Democracia”, depois vieram com Moção de Censura no Parlamento derrubando o Governo escolhido pelo povo. E quando o povo sai a rua pedindo para deixarem o Governo continuar o seu trabalho e que, em democracia, o povo é que escolhe quem entra e quem sai, disseram assim:

“ O povo não manda nada, o povo só manda nas urnas”

Enganaram o povo dizendo que se ADI tiver Primeiro-ministro, Presidente de Assembleia e Presidente da República será uma ditadura. Mas assim que tomou o poder, o Chefe da Troika derrubou Dr. Patrice e meteu Gabriel Costa (flá-sóóó), chamou Alcino Pinto para Presidente da Assembleia, todos da Troika. O povo já não vai cair nessa. Em Portugal, a bem pouco tempo, o Presidente (Cavaco Silva), Primeiro-Ministro (Passos Coelho) e Presidente da Assembleia (Assunção Esteves) são todos do mesmo partido, PSD e não é uma ditadura; Em Cabo Verde, há bem pouco temos, tiveram o Presidente da República, Primeiro-Ministro e Presidente da Assembleia do mesmo partido, PAICV; Em França, todos os titulares dos órgãos de soberania são do mesmo partido, e não é nenhuma ditadura, mas sim representa estabilidade, e é disso que o país precisa.

O povo não vai esquecer que foi enganado, o povo não vai esquecer que desrespeitaram a sua vontade, derrubando um Governo escolhido nas urnas e colocando, no gabinete, um governo fraco, corrupto, e que só veio perseguir e incomodar as pessoas e a população.

O povo aprendeu a lição: O povo vai mandar nas urnas em todas as eleições, mesmo as eleições presidenciais.